Blog

27/09/2016

Jovens conectados: espaço de diálogo e unidade na diversidade

Por Centro Vocacional

pope-francis-707395_960_720Uma Igreja jovem, com novas ideias de evangelização, um novo rosto que surge para dar nova vida à catequese, aos movimentos de pastoral, às iniciativas comunitárias, eis o desejo do Papa Francisco, quando exorta a juventude a ser protagonista de sua própria história. As novas tecnologias de informação nos permitem uma comunicação instantânea, através das diversas ferramentas que estão ao nosso alcance, ou melhor, na palma de nossas mãos. Estar conectados com as novas mídias nos permite um alcance maior: todas as mensagens, fotos e demais postagens nas redes sociais chegam a todos, a uma velocidade surpreendente.

É nesses espaços virtuais que estão os jovens e é com essa nova linguagem, com esse novo jeito de comunicar, que a juventude é desafiada a compartilhar o Evangelho, unido a suas próprias experiências de vida, para que possam motivar e animar outros jovens a fazer o mesmo, estabelecendo diálogos coerentes e ajuda recíproca. “Para evangelizar os jovens, é preciso outros jovens”, dizia Papa Francisco a juventude. Porém, ainda são poucos os esforços que estão sendo feitos, perto da grande massa juvenil que podemos encontrar nos bairros, centros comunitários, faculdades, empresas e centros comerciais, mas que infelizmente ainda não estão inseridos nessa dinâmica do protagonismo, pois ainda há muitos que preferem ficar nas superficialidades das coisas passageiras, que em nada contribuem, nem preenchem essa sede pelo novo.

A comunicação do estar conectado não pode simplesmente ser reduzida a mera diversão inconsciente ou passatempo; é preciso ir além, usando os espaços que a tecnologia e a ciência nos proporcionam para fazermos algo de bom e construtivo para as pessoas de nosso tempo. Devemos sim nos desacomodar, sair de nossos sofás ou da timidez inebriante, para atendermos a proposta do diálogo na diversidade, conservando a unidade. As ferramentas estão prontas: é preciso apenas mais coragem e espírito de despojamento e alegria para mostrarmos o rosto jovem de nossa Igreja.